friiiooooo

Eu sumi. Eu tô desanimada. Tá frio. MUITO frio. Mas, assim, MOINTO frio! Mesmo. Sério. Acho que vou morrer de hipotermia.

Gentem, NÃO HÁ POSSIBILIDADE DE VIDA no meio dessa friaca!!!


Meu, fala sério! Ó o que eu tenho que olhar toda vez que vou subir/descer as escadas de casa. [Sim, isso aí embaixo do mini iceberg é a escada aqui de casa] Isso me deixa MUITO feliz, não dá nem para descrever toda a alegria que invade meu ser quando vejo isso. Sem falar que é mega blaster escorregadio. DELICINHA!!! =P


Estacionamento de bicicletas do apato em que moro. Não tenho nem coragem de tentar limpar essas bicicletas porque eu sei que em uma noite essa montoeira de gelo se acumula de novo.


Será que um dia verei o asfalto dessas ruas de novo? Será que um dia verei as ruas de novo?



Tá, falei que é impossível existir vida nesse frio. Mentira. Existe. Só que está congelada.

BRING SPRING BACK!!!

Don Don Matsuri – parte 2


Umas apresentações de danças tradicionais; não sei que tipo de dança é, mas as senhoras das segunda e terceira fotos, seguramente, estavam dançando sobre histórias trágicas de amor.


Essa gente toda estava se apresentando ao mesmo tempo, então não sei se são danças diferentes apresentadas ao mesmo tempo ou se é tudo a mesma dança. Só sei que no meio também tinha um povo dançando o yosakoi soran – mas não tenho idéia se essa bandeira gigante tem a ver com a dança [eu = total perdida]. Só sei que esse moço segurando a bandeira-monstro fazia muita cara de “uuunnngh, que pe…sa…do…”. Tinha mais gente com bandeiras enormes, mas a dele parecia que era a mais pesadona mesmo.


Banda do corpo de bombeiros


“Maeda Toshitsune”


Banda de um colégio – eles encerraram o festival.
E tocaram a música-tema de “Ponyo no penhasco à beira do mar”. Eu, obviamente, fiquei pulandinho bem idioticamente e uma criança de uns 5 anos ficou olhando pra mim com cara de “wtf?” hahahaha


Anão japs. Primeira vez que vi [eu sabia que existiam anões por aqui, mas nunca tinha visto; já estava achando que era lenda urbana]. =O



Público – crianças saindo pelo ladrão.
Droga, eu nem posso tirar sarro do cara da última foto porque eu passei um booom tempo me equilibrando nesses toquinhos também pra tirar fotos daquele povo que dançava ao mesmo tempo e do carinha da bandeira gigante [ninguém mandou eu ser baixinha u_u']

Don Don Matsuri – parte 1

Ontem [11 de outubro eu sei que tá aparecendo dia 11 na postagem, mas agora já é manhã do dia 12] aconteceu a 34ª edição do Don Don Matsuri (どんどん まつり), um festival que acontece todos os anos aqui na cidade em que moro. Este é meu segundo ano no Japão e no ano passado não fui em nenhuuum festival porque o trampo estava bombando. Esse ano, a gente tá com beeeeeeeeem menos trabalho (o que, por um lado, é uma droga. =/), então este foi meu PRIMEIRO festival no Japão. *__*

“Don Don”, me explicaram, tem esse nome por causa das músicas apresentadas, que tem batidas bem marcadas (“don don” é onomatopéia para batida de tambor…), mas, sei lá… se for isso, o nome tá beeem diferente da realidade, porque teve um tiozinho que ficou cantando só com o tecladinho dele e um outro que cantou sem acompanhamento nenhum [e uma musiquinha arrastaaaaaaaadaaaa... deu um sooonooo =P]

Enfim. Não achei nenhuma informação sobre o festival [quer dizer, nenhuma que eu conseguisse ENTENDER], então eu meio que boiei no festival, mas teve apresentações de grupos escolares [desde pivetinhos que mal sairam das fraldas até adolescentes], de um pessoal mais velho que fazia ginástica ritmica, da bandinha dos bombeiros, da bandinha de um colégio, de um pessoal que fez dança do ventre, de um sujeito fantasiado de Maeda Toshitsune, de um pessoal mais velho que, quando cheguei, já estava se apresentando com espadas [tai chi chuan?], de yosakoi soran, tinha também uns carros e tratores expostos [sei lá por que], também tinha taiko [muuuuito taiko; acho que é mais o taiko que justifica o nome do festival]… nem vi tudo, porque estava tudo acontecendo ao mesmo tempo. Tinha uns 3 palcos e muuuuuuitas barraquinhas de comida e de brincadeiras espalhados por algumas ruas.

E crianças! Como tem criança nessa cidade! Àqueles que dizem que o Japão tem poucas crianças, venham dar um pulinho em Komatsu. Pelamor, fui atropelada umas 15 vezes por uns meio-quilos. [Talvez a população infantil desse país esteja concentrada nessa região; é mole-mole ver famílias com 3 ou 4 filhos por aqui]. E… vi um anão tocando flauta! NUNCA tinha visto anão japs! =O


Tai chi chuan?


Grupo escolar – essa molecada tava dançando uma música da Beyonce [suuuuper tradição japs!], mas não tenho idéia de que música seja. [Só sei que é Beyonce porque a letra falava "I am Sasha Fierce" =P]


Ginástica ritmica [exercícios bem leves com a bolinha; depois elas fizeram com uns pompons, mas como eu não tenho paciência -tava achando meio monótono-, mas tenho fome, larguei as tias e fui devorar uma batata cozida no vapor com muuuita manteiga por cima nham nham *_*]


Molecada fofa de uma creche tocando taiko


Mais molecada no taiko, mas daí não sei se ainda são creche ou se são mais velhos


Grupo que apresentou umas 3 ou 4 danças do ventre com véu


Equipe esportiva Dynamic [repitam: "dainamicu"]


Grupo de taiko muuuuito foda [esse tiozão de azul marinho é o instrutor do grupo; mó cara de mau!]

Mais fotos do aquário

Edifício norte

*****

Edifício sul

A Vida Marinha ao Redor do Japão


Hmmmm caranguejão gigante cozido com shoyu, gengibre e mirin… nham nham nham

A Vida Marinha Tropical


Tratador de peixes mais legal ever! Ele posou pra minha foto, mas peixes malvados entraram na frente da cara dele! Hunf!

Port of Nagoya Public Aquarium

Semana passada fui com uns amigos ao aquário público do porto de Nagoya, que fica, bem, no porto da cidade de Nagoya… =P

O aquário é bem grande e agora eu vou bem copiar e colar o que está escrito no site do Centro Internacional de Nagoya:

O Aquário Público do Porto de Nagoya não só desempenha um papel importante na educação social e recreação, mas também atua em difundir a importância de proteger e conservar a vida selvagem, dedicando-se em reproduzir e proteger espécies de animais marinhos em extinção. O aquário é formado por dois edifícios, conhecidos como “Edifício Norte” e “Edifício Sul”.

O Edifício Sul
O Edifício Sul foi inaugurado em 1992, formando um complexo de 5 diferentes áreas com temas diferenciados, as quais incluem: “A Vida Marinha ao Redor do Japão”, “A Galeria que Demonstra as Águas Profundas”, “A Vida Marinha Tropical”, “A Vida nas Águas Doces Australianas” e “A Vida Marinha na Antártica”.

O Edifício Norte
O edifício foi aberto ao público em 2001 enfocando o tema “A inteligência dos animais marinhos”, através da apresentação de shows com a Orca (conhecida como a Baleia Assassina), as Baleias Brancas (conhecidas como Beluga) e os Golfinhos. As acrobacias aquáticas desempenhadas por estes mamíferos impressionam e comprovam a todos os visitantes, sobre a inteligência desses animais.

O Aquário Público do Porto de Nagoya é um local muito bem estruturado, proporcionando conhecimento, lazer e emoção aos visitantes. Apesar do preço do ingresso ser um pouco elevado [nota: "pouco elevado" é apelido; ô lugarzinho caro!] comparando-se com outras atividades recreativas, é muito válido visitar este aquário com sua família e seus amigos. Dê a eles a chance de conhecer e observar a vida marinha em um dos aquários mais estruturados do mundo!

A gente começou pela apresentação dos golfinhos coisamaislinda!, não vimos a apresentação das belugas [porque estávamos vendo outra coisa, na hora... e também porque só nos tocamos que lá também tem apresentação das belugas DEPOIS que a coisa já tinha acontecido... duh para nós] e a orca… a orca morreu!!!! ó_ò

Depois passamos para o Edifício Norte e, depois, para o Edifício Sul. Daí vimos “A Vida Marinha ao Redor do Japão”, “A Galeria que Demonstra as Águas Profundas” [minhas fotos saíram umas cacas aqui por causa da proibição do flash nessa área], “A Vida Marinha Tropical” [minha bateria da câmera MORREU aqui! ó_ò], “A Vida nas Águas Doces Australianas” e “A Vida Marinha na Antártica” [não consegui fotografar nenhuma dessas últimas duas... buááá]

Whatever. Vamos ao que consegui fotografar da apresentação dos golfinhos [as outras fotos vão em outro post, senão isso fica MUITO carregado =P]:

…preguicinha eterna

Preguiça de escrever. O post anterior foi escrito porque, tipassim, COMIDA, né.

Então, tô com preguiça de escrever outro post [tenho dois posts começados, no rascunho, que não consigo terminaaaaaaaaar...], então vão as imagens mesmo. São lugares em que estive:

Quioto
Março [início da Primavera]

Sakuras no Caminho do Filósofo

Caminho do Filósofo

Maikos em um parque [esqueci o nome] perto do Kiyomizu-dera

Tateyama
Maio [sim, no AUGE da Primavera]

Equinócio de primavera

Hoje já é madrugada do dia 21, mas como ainda não fui dormir, continuo achando que é dia 20. E hoje, dia 20 de março, foi o equinócio de primavera de 2009.

Em astronomia, equinócio é definido como um dos dois momentos em que o Sol, em sua órbita aparente (como vista da Terra), cruza o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste). Mais precisamente é o ponto onde a eclíptica cruza o equador celeste.

A palavra equinócio vem do Latim e significa “noites iguais”, ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo. Ao medir a duração do dia, considera-se que o nascer do Sol (alvorada ou dilúculo) é o instante em que metade do círculo solar está acima do horizonte e o pôr do Sol (crepúsculo ou ocaso) o instante em que o círculo solar encontra-se metade abaixo do horizonte. Com esta definição, o dia e a noite durante os equinócios têm igualmente 12 horas de duração.
-> wikipedia

E essa definição deveras simples, bonita e altamente boring serve só para dizer que O INVERNO HORRENDO E XEXELENTO JÁ ERA! Uhuu! \o/ Oi, Primavera, seja bem-vinda! apesar de todos os insetos chulés que vem junto, bebem meu sangue e me deixam com bolotas alérgicas gigantes na pele

Embora esteja com preguiça de mexer no photoshop NESTE momento, já corrigi o contraste de algumas fotinhos que tirei na Quarta [e estou morrendo de preguiça de ajustar as outras]:

SAKURA

Chaenomeles speciosa Nakai
NUNCA ouvi falar, nem sei qual é o nome comum dessa flor, mas lendo em alguns lugares, descobri que ela é a parente asiática da rosa e do marmelo! o__O

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.