100 anos

Tô (quase) viva e atrasada para comentar sobre o centenário.

Enfim… teve o centenário da imigração japonesa ao Brasil, blá blá blá, coisa que passou o tempo todo sem parar e todo mundo já sabe que aconteceu… Aqui no Japão, vi o começo de um documentário sobre isso, mas estava podre demais e acabei dormindo antes mesmo de o primeiro bloco terminar… sem falar que não estava entendendo nada… =P

Indo ao que interessa: entraram em circulação as moedas em comemoração ao centenário, de 500 ienes.

Antes, era para a moeda ser assim:

Essa imagem aí é a reprodução de uma estátua feita por uma mulher chamada Cláudia Fernandes, localizada em Santos.

O monumento:

O Monumento ao Imigrante, com personagens que representam uma família de japoneses, foi criado pela artista em 1998, nas comemorações dos 90 anos da imigração. Na época, a artista paulista venceu um concurso promovido pela Federação das Províncias do Japão no Brasil.

Este ano, a artista foi procurada pela comissão responsável pelas comemorações do centenário para produzir 250 troféus com a mesma imagem. Ela recebeu R$ 90 por unidade, além dos R$ 85 mil pagos pelo monumento que está em Santos. Mais tarde, descobriu pela internet que o governo japonês estaria produzindo moedas de 500 ienes (US$ 4,80) com uma imagem baseada na sua obra, sem sua autorização.

A comissão teria tentado convencê-la a assinar documentos cedendo os direitos autorais. “Ao ler o documento, percebi que os papéis incluíam não apenas os troféus, mas muito mais do que isso, inclusive as moedas, que já estavam produzidas”, diz a artista. Esta semana, uma equipe de TV procurou a artista para ouvi-la sobre a notícia de que o governo japonês teria desistido de colocar as moedas em circulação diante do risco de um processo por violação de direito autoral.
[fonte – Esse link tenta imprimir a página em questão; coisa irritante! É só cancelar.]

As autoridades japonesas pretendiam distribuir a moeda a partir de maio, acreditando que a escultura pertencia a uma associação de imigrantes de origem japonesa no Brasil.

Mas a associação descobriu que o escultor estava amparado por um direito sobre a utilização de sua obra e então pediu a Tóquio que alterasse o motivo da moeda.
[fonte]

O cônsul-geral-adjunto do Japão em São Paulo, Jiro Maruhashi, representante do governo japonês em São Paulo, confirmou que o governo daquele país cunhou as moedas com base nas informações erradas da Federação das Associações das Províncias do Japão no Brasil e, mais tarde, da ACCIJB. Maruhashi classifica o tropeço de “ocorrência infeliz”.

“O Japão não tinha intenção de infringir ou violar direito autoral.”

O presidente do Comitê Executivo da ACCIJB, Osamu Matsuo, afirmou que a associação e a federação achavam deter os direitos para usar a imagem na cunhagem e, por isso, liberaram o projeto. “É uma pena. Nós fizemos tudo com boas intenções. O governo queria comemorar usando o desenho, pensando que estivesse tudo direito.”
[fonte]

Problema resolvido [ou não =P], a moeda agora é assim:

Isso aí é um ramo de sakura [flores de cerejeira] e um ramo de café. Essa coisa escrita em japonês com o número 20 na parte inferior da moeda indica que se trata do ano 20 da Era Heisei. Ou seja: este ano, 2008, é o vigésimo ano do reinado do atual imperador, Akihito, que começou em 8 de Janeiro de 1989 [A conta não está errada; aqui conta-se o primeiro ano também, ou seja, 1989 foi o ano 1 da Era Heisei. Na verdade, isso é uma droga, porque, pela contagem japonesa, eu tenho um ano de idade a mais do que aprendi que tenho… ou seja, aqui virarei balzaca um ano antes do que no Brasil! Buááá! =P].

Sakura:

Café:

E o verso da moeda mostra o Kasato Maru, o navio pioneiro dos imigrantes, com o mapa da América do Sul, com o Brasil em destaque, ao fundo:

Kasato Maru:

O nível de detalhes da moeda impressiona. Trabalho com microscópio, então analisei a moeda com meu instrumento de trabalho… hohoho

As pétalas da sakura estão impecáveis, embora o pé de café esteja meio estranho. Acho até que o desenho esteja parecido mesmo com um ramo de café, mas, sei lá…

No Kasato Maru, é possível ver direitinho as redes, a âncora e o nome, em letras romanas e em kanji, da embarcação. O kanji eu só consegui ver no microscópio. =P

Pensei em comprar umas moedas e mandar pra uma galera que ficou no Brasil, mas a brincadeira ia ficar MUITO cara e acabei comprando só para três amigos, que são descendentes de japoneses e que são mais próximos a mim. O resto fica chupando dedo porque, afinal, também tenho avós e tios que vão ganhar a moeda e minha carteira não é nenhuma cornucópia [infelizmente =P].

.

.

.

Este post foi uma coisa meio besta, mais para dizer duas coisinhas:

1. Bia, Déba e Gushi, vocês ganharão um presentinho! =D

2. As moedas de 500 ienes custam exatamente 500 ienes e são válidas como dinheiro de verdade em todo o território japonês. Sim, o cidadão pode comprar um par de meias ou uma cerveja com um pacote de amendoim com essa moeda, DIFERENTEMENTE da moeda de 2 Reais, que é enfeite e que custa 24 Reais. Fala sério, meu! >=PPPPP

Em tempo: A moeda-enfeite brasileira tem o Kasato Maru de um lado e a imagem de uma imigrante colhendo caqui, fruta introduzida no Brasil pelos japoneses, de outro.
[O que me faz pensar na piada mais estúpida EVER! “O que é um pontinho laranja pulando na mata? R: É um caqui-pererê” ~~~shame on me! u_u’]

Se, por um lado, gostaria de ter essa moeda de 2 Reais, por outro, recuso-me a gastar 24 paus com isso… um roubo! =PPP

~~~Ah! NENHUMA das fotos desse post é minha. Acho que as baterias da minha câmera pediram arrego de vez! Quem é que merece? T_T’

Anúncios
Publicado em centenário. 5 Comments »

Japão, terra de…

SAMBA!!!!!

Sim, sim, sim, é vero…

Não digo isso só porque em Tóquio tem carnaval, lá no bairro de Asakusa… o maior fora do Brasil, segundo dizem.


Nem porque também tem carnaval em Oizumi, lá na província de Gunma [que, se não é a província que tem mais brasileiros, é uma das que tem mais]. Nem porque outras cidades [que eu não sei quais são] também promovem carnavais.

Digo isso porque um grupo japonês, The Boom, gravou em 1994 (!!!!!!!!!!!!!!) um cd chamado Kyokutoo Samba [ou: “Samba do Extremo Oriente”] que tinha a música “Kaze ni Naritai” [ou: 風になりたい ou, em português: “Quero ser como o vento”].

Em 1996, eles lançaram o disco “Samba do Extremo Oriente“. Eu, como grande ignorante do idioma japonês e do The Boom, não sei se é o mesmo disco [já que a capa é a mesma do disco de 1994] e se as músicas são cantadas em português. Acho que não – acho que são músicas diferentes, mas vai saber… =P Shame on me, que ainda não aprendi essa língua!

Enfim… saca só a tracklist desse disco:

曲名 クレジット(作詞/作曲)
Rush Humano
(Human Rush)
宮沢和史/宮沢和史
Vento de Amor
(風になりたい)
宮沢和史/宮沢和史
Amor a Toquioniana
(TOKYO LOVE)
宮沢和史/宮沢和史
Samba do Extremo Oriente
(Far East Samba)
宮沢和史/宮沢和史
Volto ou Nao volto
(帰ろうかな)
宮沢和史/宮沢和史
Carnaval
(カルナヴァル)
宮沢和史/宮沢和史
Poeta
宮沢和史/宮沢和史
Estacionamento
(モータープール)
宮沢和史/宮沢和史
Torre de Tokyo
(東京タワー)
宮沢和史/宮沢和史
Glorias
(It’s Glorious)
宮沢和史/宮沢和史
Partir
(berangkat-ブランカ-)
宮沢和史/宮沢和史
Outubro
(10月)
宮沢和史/宮沢和史
Mas o Trem Continua Marchando
(それでも気車は走る)
宮沢和史/宮沢和史
Haja Coracao
(カルナヴァル)
ARCO-IRIS/宮沢和史
Ponta de Areia
(砂の岬)
MILTON NASCIMENTO, FERNANDO BRANT
(日本語詞-国安真奈, 宮沢和史) /MILTON NASCIMENTO, FERNANDO BRANT

Oi? Milton Nascimento? Oi? Títulos em português?

Também em 1996, o The Boom lanou o disco Tropicalism-0º e, em 2002, uma coletânea [acredito] chamada Shima Uta – Grandes Éxitos [é, com acento agudo mesmo].

Aliás, o site oficial dos caras tem uma versão em português [que, na verdade, não tem quase nada, mas enfim… o que vale é a intenção… =P]

E eu vou me recolher à minha ignorância e deixar aqui só o vídeo dessa música… o clipe, uma apresentação e a letra com a tradução – que eu não sei se está certa, mas enfim… Enjoy!

[tem até apito e virada de bateria aí! Tem mais espírito de samba do que muito “samba” que já ouvi no Brasil… =P]

Sim, é estranho e até engraçado ver a animação de uns e a falta de animação de outros… as roupitchas… mas deixa isso pra lá.

Notem os mullets do tiozinho do pandeiro! Rox! /o/ E o vocalista meio que incorpora uma pomba-gira no finzinho do vídeo – o MAIS TRISTE DE TUDO é que AINDA ASSIM ele samba muuuuuuuuuito melhor que eu! O que mostra que eu não sambo p*#&@ nenhuma! bwarhauhauhauhauar

A apresentação ao vivo:

O cara fala um tempão até começar a cantar, mas eu gosto da apresentação…

KAZE NI NARITAI

Ooki na ho wo tatete
Anata no te wo hiite
Are kuruu nami ni momare
Ima sugu
Kaze ni naritai

Tengoku janakutemo
Rakuen janakutemo
Anata ni aeta shiawase
Kanjite
Kaze ni naritai

Nani hitotsu ii koto
Nakatta kono machi ni
Shizumi yuku taiyoo
Oiokoshitemitai

Umaretekita koto wo
Shiawase ni kanjiru
Kakko warukutatte ii
Anata to
Kaze ni naritai

Nani hitotsu ii koto
Nakatta kono machi ni
Namida furasu kumo wo
Tsukinukete mitai

Tengoku janakutemo
Rakuen janakutemo
Anata no te no nukumori wo
Kanjite
Kaze ni naritai

Tengoku janakutemo
Rakuen janakutemo
Anata ni aeta shiawase
Kanjite
Kaze ni naritai

Kaze ni
Kaze ni naritai

QUERO SER COMO O VENTO

Abro a grande vela do barco
Puxo a tua mão
Somos impelidos pelas ondas agitadas
Neste momento
Quero ser como o vento

Não é o céu
Não é o paraíso
Mas quando sinto a felicidade
De ter encontrado você
Quero ser como o vento

Não havia ainda uma coisa boa nesta cidade
Parece que o sol
Que vai afundando
Está correndo mais

Eu me sinto feliz por ter nascido
Tudo bem se eu sou desajeitado
Junto de você
Quero ser como o vento

Não havia ainda uma coisa boa nesta cidade
Parece que uma nuvem
Derramando lágrimas
Abre caminho

Não é o céu
Não é o paraíso
Quando sinto o calor da tua mão
Quero ser como o vento

Não é o céu
Não é o paraíso
Mas quando sinto a felicidade
De ter encontrado você
Quero ser como o vento

Quero ser
Quero ser como o vento

Sim, eu gosto dessa música. Sim, esse troço, quando dá pra grudar na minha cabeça, fica dias e dias e dias tocando na minha rádio mental. Já estou com isso na cabeça há uns três dias. =P