E Kyoto continua linda!

Uma das piores coisas de se trabalhar no Japão é o fato de que a gente não vive aqui; a gente só existe. Porque, meu, trabalhar entre 12 e 15 horas por dia, com UMA folga por semana -lógico, quando essa folga existe [minha próxima folga será só daqui a 16 dias!!!!]-, virar turno a cada semana ou a cada duas semanas… vou te falar, é F-O-D-A!

Enfim… aí tem os feriados, quando TODO MUNDO viaja e fica impossível andar por aí… mas dessa vez arrisquei. Comprei passagem com lugar marcado [ou seja, passagem mais cara que o normal =P] e me mandei por dois dias para Kyoto. Já tinha ido pra lá em 2006, mas foi no final do Inverno/início da Primavera. Agora, fui no auge do Verão e não sei como não derreti.

Kyoto continua linda! LINDALINDALINDALINDALINDA! Se eu pudesse, moraria por lá. E quem é turista tira fotos, então, ei-las:

Kiyomizu-Dera


Ver maior


Ver maior


Ver maior


Ver maior


Ver maior
Atenção à menininha picareta enchendo uma garrafinha com a água do templo… e o tiozão no canto da foto, enchendo uma garrafa de DOIS LITROS com a água do templo!! Devem ser parentes. Deve ter sido mais ou menos assim: “Tá quente e papai não vai comprar mais água, então peguem a água sagrada! Observem como eu faço e copiem!” /o/

Também fui em outros lugares, como o templo Sanjusangen Do, onde não pode tirar foto, o Kinkakuji onde eu fui da primeira vez, e tirei poucas fotos dessa vez, e o Palácio Nijo, onde também não pode fotografar, mas tirei um monte de fotos do jardim [que um dia eu coloco aqui – bah, queria poder tirar umas fotos desses lugares, que raiva =P].

Jantei num restaurante chamado Mimasuya, lá no bairro de Pontocho, à beira do rio Kamo [“Kamogawa”, que, diga-se de passagem, é sobrenome de uma amigona! =D]. Achei essa foto no flickr; o restaurante em que estava era em uma dessas varandinhas:

Ver maior

E, meu, amei a vista de lá:

Ver maior

Kyoto é tudibão nessa vida! Tem coisas muito felizes para comer, ver e comprar!


Minha casquinha mista de sorvete de baunilha e de chá verde – chupa essa, McDonald’s!


Meu sorvete ignorante que comprei no Fuijiya


A estação de trem, por dentro, comemorando o Tanabata Matsuri


Uma parte da estação de trem [que é gigante], por fora, refletindo o céu azulão


Um dos muitos calçadões que existem lá no centro da cidade


Meninas com roupas iguais [só a cor é que muda] andando de bicicleta no centrão

AHHHHH!!! Eu quero mudar pra Kyoto!!!!!
Putz, vai saber agora quando é que eu vou conseguir postar aqui de novo, por causa do maldito trabalho infeliz que não me deixa viver, mas ao menos vou ter no que pensar enquanto fico lá trabalhando igual um camelo. =P

Aiai, espero um dia deixar de só existir e passar a viver um pouco mais. =P

7 Respostas to “E Kyoto continua linda!”

  1. Mr T Says:

    “Amar” uma patria naum te ama eh isso mesmo. Mas aproveita mesmo, eles se aproveitam de vc tb, naum eh?!

  2. Miyuki Says:

    Prezado Mr T. Meu problema não é a pátria. Acho isso de “pátria” uma coisa meio estúpida porque… na boa, é tudo gente, gente é tudo puto mesmo e a única diferença é a distância do lugar em que você nasceu e a forma como os sons são organizados para formar uma frase. Só. [E eu não amo esse país. Eu amo alguns costumes, algumas pessoas, algumas comidas e algumas cidades; pro resto, eu cago. Exatamente como era no Brasil.]

    Meu problema são os filhos da puta incompetentes semi-analfabetos que nunca ouviram falar em Hemingway ou em Kafka [em sua maioria, brasileiros, diga-se de passagem] com quem sou OBRIGADA a conviver e a ACEITAR como chefes. E são eles que acham boa idéia fazer todo mundo trabalhar sem folga, durante 12~15 horas e achar que nossos organismos vão agüentar. Uma palavra pra essa gente: BURROS!

    Se eu conseguisse trampo onde meus superiores tivessem o cérebro maior que um amendoim, eu não seria tão “explorada”. Reclamei porque tô de saco cheio de só levar no tuim, mas não posso dizer que não tinha CONSCIÊNCIA de que isso poderia acontecer quando DECIDI encarar esse trampo. Porque esse é outro problema meu: só tomar decisões que parecem certas na hora mas que só fodem minha vida. E se eu tivesse tomado qualquer outra decisão, estaria fodida do mesmo jeito.

    E “naum” não existe. Sem miguxês por aqui. Obrigada.

  3. Mr T Says:

    Desculpe, eh que meu teclado estah com problema de acentuacao, naum eh miguxes naum…

    Entaum, vc naum tem patria? Talvez se o cerebro deles fosse maior que o de um amendoim, vc acha que seria contratada? No final das contas, eh como vc disse, vc que aceitou, eles naum te imploraram…

  4. Miyuki Says:

    Tenho pátria, mas não dou a mínima pra essa história de pátria.

    Eles não me contrataram. Contrataram eles – e foram considerados somente 3 fatores: são homens, falam japonês e estão no Japão há mais de 5 anos. Só. Temos superiores em comum.

    E outra: por que você não se identifica? Detesto falar com gente anônima.

  5. Débora Says:

    Nossa, que vontade de voltar pro Nihon!!! *___* Para passear, claro!
    Mas realmente a parte de trabalhar – e só trabalhar – é mto estressante!

    Não sei o que esse cara tá reclamando, aqui no Brasil não tá uma maravilha: a gente trabalha muito e ganha pouco… (não chega a ser tudo isso que você tá trabalhando, mas para quem trabalha e estuda, acaba ficando sem vida também…). Só sabe de cargo quem tiver dinheiro para fazer uma boa faculdade, MBA, Pós sabe-se lá onde, falar pelo menos duas línguas… e se tiver parente lá em cima, melhor né? Caso contrário tem que se contentar com pouco e nem reclamar, porque tem um monte de gente que aceita trabalhar por menos…

  6. ???? Says:

    Não entendi… Achei que quem estivesse reclamando fosse a autora do post, não o cara…

  7. Miyuki Says:

    Déééé, me manda um email dizendo quando você tem tempo disponível! Tô com saudade de conversar co mvocê, cabeçuda! =D

    ????:
    Eu tava reclamando de como um dos meus superiores diretos [existem muuuuuuuuitos superiores diretos; todos com a mesma função] era um total desorganizado [ainda bem que foi despedido] e era INCAPAZ de montar uma grade de trabalho que não matasse ninguém. Aí chegaram falando merda, nada a ver com que eu tava falando… e eu retruquei. E não entendi o porquê do seu anonimato. Você e o tal Mr. T são a mesma pessoa? ¬¬’


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: