vergonha da raça

Então, tinha esse idiota, Issei Sagawa. É assim o nome dele em japonês: 佐川一政 [Sagawa Issei – o sobrenome antes do nome].

E esse demente nasceu numa família de posses e foi estudar na França. Em 1981, aos 32 anos, ele deu um tiro no pescoço de sua professora de alemão [por quem ele era obcecado], uma moça de 25 anos chamada Renée Hartevelt. Aí começou a cortar pedacinhos da carne dela e achou parecido com carne crua de atum, macia e sem cheiro. Aí o demente ficou excitado com isso e fez sexo com o parcialmente canibalizado corpo da vítima!!!!! o__O

Aí foi para um parque, jogar o resto do corpo da vítima num lago – e um casal viu. Então ele foi preso, pedaços da carne da moça foram encontrados na geladeira dele e ele foi deportado para o Japão. PORÉM, ele foi LIVRE para casa.

Não foi para a prisão, não foi para nenhuma instituição para desajustados mentais. E, PASMEM!, hoje ele é uma espécie de subcelebridade conhecido por ser CRÍTICO GASTRONÔMICO!!! Sem falar que também já participou de um filme e às vezes aparece na TV.

Heeeiiiinnn?, mas, OI?, como assim, alguém me explica?

Essa é a cara do idiota, antes e agora:

A coitada da vítima:

E eu sei lá que diabos está escrito aqui, mas ó as fotos:






Como assim, tem umas crianças junto dele? Que espécie de IMBECIL transforma um escroto desse em celebridade e deixa umas crianças chegarem perto??

Aqui, mostrando um de seus livros [porque ele também é escritor]

Ó QUE MEIGO, TOMARA QUE ESSE CRETINO SEJA PRESO E VIRE A MENININHA DA PRISÃO!

Achei esse documentário no youtube; PÉSSIMA qualidade, mas enfim… chama-se “Excuse me for living” [não, não te desculpo não >=P]
parte 1, parte 2, parte 3, parte 4, parte 5, parte 6

A música “Too much blood”, dos Rolling Stones, faz referência ao canibal-celebridade.

A friend of mine was this Japanese.
He had a girlfriend in Paris.
He tried to date her in six months and eventually she said yes.
You know, he took her to his apartment, cut off her head.
Put the rest of her body in the refrigerator, ate her piece by piece.
Put her in the refrigerator, put her in the freezer.
And when he ate her and took her bones to the Bois de Boulogne, by chance a taxi driver noticed him burying the bones.
You don’t believe me? Truth is stranger than fiction.
We drive through there every day.

Morri de vergonha da raça agora.
Fontes:
new criminologist, vice magazine, wikipedia

–Bah, acabei de ver isso:

(…) Then, the bombshell.

“I know him. He’s a friend of mine.” In shock I listened as he went on to describe Sagawa’s activities as a restaurant reviewer, actor, author and his annually held barbecue. The two men even wrote a book together about other cannibal killers. “How can you associate with someone who did the things he did?” I had to ask. “What he did was terrible, but he’s a nice guy. He has lots of friends,” was the simple response.

(…)I have no problem with people writing books or making films based on serial killers (…) but if one is into this topic, then one should take in all aspects. Put yourself in the victim’s shoes. Put yourself in the victim’s family’s shoes. [concordo bem com essa última parte]

Sério, uma coisa é você ser um tosquinho feliz que faz umas coisas random, sem machucar ninguém [tipo o Hard Gay, que causava estranhamento, mas era bem bobo], outra coisa é você ser conivente com um babaca como esse… ok, ele pode ser educado, mas eu JAMAIS seria amiga de um demente assim. Às vezes, acho que japoneses acham graça em tudo, em coisas bobas sem graça nenhuma. Até aí, ok. Só que, fala sério, ISSO aí não tem graça NENHUMA e tem que ser muuuuito sem noção [como o idiota com máscara fazendo as poses toscas com o assassino canibal na série de fotos em que aparecem as crianças] para querer transformar ISSO em algo LIGHT e FAMILIAR.

Na boa, mas vá para a puta que te pariu. Porra. o inferno.

Anúncios

Equinócio de primavera

Hoje já é madrugada do dia 21, mas como ainda não fui dormir, continuo achando que é dia 20. E hoje, dia 20 de março, foi o equinócio de primavera de 2009.

Em astronomia, equinócio é definido como um dos dois momentos em que o Sol, em sua órbita aparente (como vista da Terra), cruza o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste). Mais precisamente é o ponto onde a eclíptica cruza o equador celeste.

A palavra equinócio vem do Latim e significa “noites iguais”, ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo. Ao medir a duração do dia, considera-se que o nascer do Sol (alvorada ou dilúculo) é o instante em que metade do círculo solar está acima do horizonte e o pôr do Sol (crepúsculo ou ocaso) o instante em que o círculo solar encontra-se metade abaixo do horizonte. Com esta definição, o dia e a noite durante os equinócios têm igualmente 12 horas de duração.
-> wikipedia

E essa definição deveras simples, bonita e altamente boring serve só para dizer que O INVERNO HORRENDO E XEXELENTO JÁ ERA! Uhuu! \o/ Oi, Primavera, seja bem-vinda! apesar de todos os insetos chulés que vem junto, bebem meu sangue e me deixam com bolotas alérgicas gigantes na pele

Embora esteja com preguiça de mexer no photoshop NESTE momento, já corrigi o contraste de algumas fotinhos que tirei na Quarta [e estou morrendo de preguiça de ajustar as outras]:

SAKURA

Chaenomeles speciosa Nakai
NUNCA ouvi falar, nem sei qual é o nome comum dessa flor, mas lendo em alguns lugares, descobri que ela é a parente asiática da rosa e do marmelo! o__O

Moradias MINÚSCULAS

Sabe aquela idéia de que todo japonês mora num apErtamentico de nada e que é caro pra burro? Ou então em casa beeem no estilo japonês, com jardinzinho e espelho d’água com carpa?

Então, te enganaram.

Fiz essas fotos na última Quarta-feira, nos arredores de onde moro – as fotos nem ficaram muito boas, mas e a preguiça de abrir o photoshop e corrigir o contraste? =p [claro, existe SIM muita gente que mora nos apertamentos, mas também tem MUITA gente que mora numas casas imensas]:


Alguém me dá essa casinha apertada e minúscula de presente? Ela é tão fofa! Parece casa de desenho! *_*


As roupas no varal mostram como o vento estava AMIGO na Quarta; especialmente para quem estava tentando se equilibrar numa bicicleta enquanto fotografava e pagava de doida na rua [oi, eu!]

Não que EU não more num apertamentico [a.k.a. apato], mas, ó, pra mim é meio que uma questão de praticidade: quanto maior a casa, mais chão para limpar e eu absolutamente O.D.E.I.O. tarefas domésticas! [sem falar que o preço do aluguel é BEM mais simpático]

J-music

Hmmm… não manjo muito [traduzindo: quase nada, próximo do nulo] de música japonesa, desde enka até j-pop/j-rock/visual kei/ qualquer coisa assim… entretanto, tem algumas coisinhas que eu gosto e como estou demasiadamente entediada [e com insônia], resolvi escutar e colocar aqui =P

The Pillows – Little Busters
J-rock

AMO essa música! provavelmente, uma das músicas que mais gosto [no geral, não só entre músicas japonesas]

Só sei que essa música é trilha de um anime chamado FLCL (a.k.a. Furi Kuri, a.k.a. Fooly Cooly), mas nunca assisti esse desenho – eu não sou a pessoa maaaaaais animada com animes do mundo, embora assista um ou outro [gosto de mangá/anime, mas não sou nada fanática, embora frequentasse os mangacon -que acho que nem existe mais huahauhauaha-, animecon e similares (anime friends eu fui UMA vez e achei um lixo)… parei de frequentar quando uns toscos vestidos de CHAVES começaram a aparecer – só na pqp que Chaves é anime ¬¬””].

Luna Sea – Rosier e I for you
Visual kei

Amo, adoro, não vivo sem essas duas músicas!
Os clipes são toscos, mas quem liga?

Angela Aki – Music
J-Pop

Essa mulher aí eu curto pra caramba! E “Music” é uma das que mais gosto =D

E ela gravou uma música com o Ben Folds! *___* Não tem clipe ainda -será que um dia vai ter?-, mas a música é tão fofa!!! Chama-se Black Glasses [Ben Folds = minha mais recente paixão *__*].

Moriyama Naotarō – Sakura
J-Pop

Minha irmã cisma em chamar isso de new enka, mas eu nem sei exatamente o que é new enka, de toda forma… new enka pra mim, no máximo, é o Jero -sim, descende de japoneses, sim, mora no Japão, sim, aparece na tv TODA BENDITA SEMANA-, mas como Sakura é a ÚNICA música do Naotaro que eu conheço, nem falo nada…

Gosto mais da versão do cd, porque não curto muito essa capela no início do clipe [é, eu sou fresca e chata – mas o resto da música ficou melhor no vídeo do que na versão de estúdio -imho =P- =D].


Oloco, nem minha vó que tem mais de 80 anos tem as pernas tããããoo tortas! o__O

***
Ó só três nikkeis [ninguém olha e fala que descendem de japoneses]:

Jero, Jair Oliveira [a.k.a. Jairzinho] e Luciana Mello

Todos são netos de japoneses [suas respectivas mães são mestiças], só que Jero nasceu e foi criado nos EUA e os dois irmãos são brasileiros. Mas, sim, todos são “japas”. =P

Para quem duvida: [1] e [2]

Anmitsu

Anmitsu e uma sobremesa geladinha. Eu não sei qual é exatamente a origem desse doce, mas ela é bem popular por aqui [e é fácil fácil de se encontrar no Brasil também – pelo menos, em São Paulo].

Basicamente, o anmistu é uma salada de frutas com anko, kanten [opcional] e sorvete. Ou seja, cada um faz do jeito que gosta.

E agora, a tradução:

Anko
[Lê-se “ankô”]

O famoso doce de feijão. Aquele, que um monte de gente nem experimenta por puro preconceito, só porque dizem que é feito de feijão. Oi, não é o feijão que se come com arroz não. É o feijão azuki, que é menor que o feijão que se come na culinária brasileira, além de ser vermelho e ter o sabor totalmente diferente [ele é adocicado, então é muito natural que se faça doce com ele – tem até kit kat recheado com azuki por aqui! – se bem que eu nem curto azuki com doce “moderno”; prefiro nos tradicionais mesmo]. Só que ele é uma leguminosa [sabe? nasce em vagens e talz], da mesma família que o carioquinha, o preto… mas é TOTALMENTE diferente. Dá pra fazer prato salgado com ele, mas eu, pessoalmente, prefiro em doce.

Do azuki é feito o anko [ou pasta de feijão], e eu conheço três variedades bem comuns: o lisinho, bem cremoso, a pasta é toda uniforme que eu chamo de “anko liso” [ADORO]; o que tem pedaços de feijão que eu, bem leigamente, chamo de “Anko pedaçudo” [quando não tá muuuito pedaçudo eu até encaro] e o líquido, que, além de líquido, tem a versão cremosa e pedaçuda [d-e-t-e-s-t-o as duas versões].

O “an” de “anmitsu” vem do “an” de “anko”.

Kanten
[Lê-se “kantén”]

Eu não sei descrever isso exatamente, mas é basicamente uma gelatina praticamente sem sabor [é adocicado, mas beeeem pouquinho], à base de uma substância extraída de várias algas [parece que o pessoal chama de “ágar-ágar” – nem sabia; acabei de descobrir]. Só sei que se não tem nenhum sabor, ele é transparente, mas dá para deixar o bichinho colorido, adicionando sabores [não sendo o de café, que não gostei, mando para dentro qualquer outro sabor; kanten r0x].

Enfim, como eu já disse, cada um faz o anmistu de um jeito. O que eu mais gosto é assim [todas as frutas em cubinhos, para facilitar na hora de comer]:

*1 bola bem generosa de sorvete [de baunilha, de nata ou de chá verde];
*cubinhos de kanten [trasparentes ou coloridos, tanto faz];
*morangos [quanto mais, melhor!];
*kiwi;
*melão [de preferência, o japonês alaranjado, para dar um colorido];
*fatias de maçã com casca [exceção; maçã eu prefiro em fatia do que em cubinhos];
*mamão;
*pêssego em calda;
*marshmallows pequenos;
*anko lisinho, cremoso.

Aqui no Japão eu também coloco [vou chorar quando voltar ao Brasil e não encontrar isso no mercado]:
*framboesa [com amora também deve ficar bom];
*blueberries.

Faz tempo que não faço anmitsu -nem tenho todos os ingredientes em casa [e tô com uma preguiça MÓRBIDA de ir ao mercado =p]-, mas eis algumas fotos de várias versões dele. *__*