friiiooooo

Eu sumi. Eu tô desanimada. Tá frio. MUITO frio. Mas, assim, MOINTO frio! Mesmo. Sério. Acho que vou morrer de hipotermia.

Gentem, NÃO HÁ POSSIBILIDADE DE VIDA no meio dessa friaca!!!


Meu, fala sério! Ó o que eu tenho que olhar toda vez que vou subir/descer as escadas de casa. [Sim, isso aí embaixo do mini iceberg é a escada aqui de casa] Isso me deixa MUITO feliz, não dá nem para descrever toda a alegria que invade meu ser quando vejo isso. Sem falar que é mega blaster escorregadio. DELICINHA!!! =P


Estacionamento de bicicletas do apato em que moro. Não tenho nem coragem de tentar limpar essas bicicletas porque eu sei que em uma noite essa montoeira de gelo se acumula de novo.


Será que um dia verei o asfalto dessas ruas de novo? Será que um dia verei as ruas de novo?



Tá, falei que é impossível existir vida nesse frio. Mentira. Existe. Só que está congelada.

BRING SPRING BACK!!!

Don Don Matsuri – parte 2


Umas apresentações de danças tradicionais; não sei que tipo de dança é, mas as senhoras das segunda e terceira fotos, seguramente, estavam dançando sobre histórias trágicas de amor.


Essa gente toda estava se apresentando ao mesmo tempo, então não sei se são danças diferentes apresentadas ao mesmo tempo ou se é tudo a mesma dança. Só sei que no meio também tinha um povo dançando o yosakoi soran – mas não tenho idéia se essa bandeira gigante tem a ver com a dança [eu = total perdida]. Só sei que esse moço segurando a bandeira-monstro fazia muita cara de “uuunnngh, que pe…sa…do…”. Tinha mais gente com bandeiras enormes, mas a dele parecia que era a mais pesadona mesmo.


Banda do corpo de bombeiros


“Maeda Toshitsune”


Banda de um colégio – eles encerraram o festival.
E tocaram a música-tema de “Ponyo no penhasco à beira do mar”. Eu, obviamente, fiquei pulandinho bem idioticamente e uma criança de uns 5 anos ficou olhando pra mim com cara de “wtf?” hahahaha


Anão japs. Primeira vez que vi [eu sabia que existiam anões por aqui, mas nunca tinha visto; já estava achando que era lenda urbana]. =O



Público – crianças saindo pelo ladrão.
Droga, eu nem posso tirar sarro do cara da última foto porque eu passei um booom tempo me equilibrando nesses toquinhos também pra tirar fotos daquele povo que dançava ao mesmo tempo e do carinha da bandeira gigante [ninguém mandou eu ser baixinha u_u’]

Don Don Matsuri – parte 1

Ontem [11 de outubro eu sei que tá aparecendo dia 11 na postagem, mas agora já é manhã do dia 12] aconteceu a 34ª edição do Don Don Matsuri (どんどん まつり), um festival que acontece todos os anos aqui na cidade em que moro. Este é meu segundo ano no Japão e no ano passado não fui em nenhuuum festival porque o trampo estava bombando. Esse ano, a gente tá com beeeeeeeeem menos trabalho (o que, por um lado, é uma droga. =/), então este foi meu PRIMEIRO festival no Japão. *__*

“Don Don”, me explicaram, tem esse nome por causa das músicas apresentadas, que tem batidas bem marcadas (“don don” é onomatopéia para batida de tambor…), mas, sei lá… se for isso, o nome tá beeem diferente da realidade, porque teve um tiozinho que ficou cantando só com o tecladinho dele e um outro que cantou sem acompanhamento nenhum [e uma musiquinha arrastaaaaaaaadaaaa… deu um sooonooo =P]

Enfim. Não achei nenhuma informação sobre o festival [quer dizer, nenhuma que eu conseguisse ENTENDER], então eu meio que boiei no festival, mas teve apresentações de grupos escolares [desde pivetinhos que mal sairam das fraldas até adolescentes], de um pessoal mais velho que fazia ginástica ritmica, da bandinha dos bombeiros, da bandinha de um colégio, de um pessoal que fez dança do ventre, de um sujeito fantasiado de Maeda Toshitsune, de um pessoal mais velho que, quando cheguei, já estava se apresentando com espadas [tai chi chuan?], de yosakoi soran, tinha também uns carros e tratores expostos [sei lá por que], também tinha taiko [muuuuito taiko; acho que é mais o taiko que justifica o nome do festival]… nem vi tudo, porque estava tudo acontecendo ao mesmo tempo. Tinha uns 3 palcos e muuuuuuitas barraquinhas de comida e de brincadeiras espalhados por algumas ruas.

E crianças! Como tem criança nessa cidade! Àqueles que dizem que o Japão tem poucas crianças, venham dar um pulinho em Komatsu. Pelamor, fui atropelada umas 15 vezes por uns meio-quilos. [Talvez a população infantil desse país esteja concentrada nessa região; é mole-mole ver famílias com 3 ou 4 filhos por aqui]. E… vi um anão tocando flauta! NUNCA tinha visto anão japs! =O


Tai chi chuan?


Grupo escolar – essa molecada tava dançando uma música da Beyonce [suuuuper tradição japs!], mas não tenho idéia de que música seja. [Só sei que é Beyonce porque a letra falava “I am Sasha Fierce” =P]


Ginástica ritmica [exercícios bem leves com a bolinha; depois elas fizeram com uns pompons, mas como eu não tenho paciência -tava achando meio monótono-, mas tenho fome, larguei as tias e fui devorar uma batata cozida no vapor com muuuita manteiga por cima nham nham *_*]


Molecada fofa de uma creche tocando taiko


Mais molecada no taiko, mas daí não sei se ainda são creche ou se são mais velhos


Grupo que apresentou umas 3 ou 4 danças do ventre com véu


Equipe esportiva Dynamic [repitam: “dainamicu”]


Grupo de taiko muuuuito foda [esse tiozão de azul marinho é o instrutor do grupo; mó cara de mau!]

Japão, terra de…

COMIDA PERUANA!

Sim, porque, vou te falar, como tem peruano nesse país!!!

No Brasil, nunca vi comida peruana [sei que tem, só não sei onde encontrar – digo, coisa que caiba no meu bolso =P]. Na verdade, eu sou uma vergonha, porque tenho um amigo a quem adoro e a criatura é made in Peru. Sim, eu sei, shame on me.

Aqui, comi lomo saltado [que as peruanas que conheço me ensinaram que se pronuncia “lómo sartádo”] e alfajor; e já tenho um ceviche prometido para um futuro breve [espero que se realize, porque parece MUITO bom!]. Sim, conheço praticamente nada da culinária peruana; fui experimentar AQUI, do outro lado do mundo [mesmo tendo o tal amigo peruano! Shame on me again!]. Porque eu sou uma pessoa prática. Para quê experimentar no Brasil que é pertinho do Peru, se posso ir à p***a do outro lado do planeta, não é mesmo?


Lomo saltado

O lomo saltado são tiras de carne com pouca gordura [tipo filé mignon] com cebola, tomate e batata frita. Tudo junto! E é apimentadinho! [não muito; na medida certa. Muito delicinha!] \o/


Alfajor peruano

Alfajores eu já conhecia; o da Turma da Mônica [que eu não gostava muito] e o absolutamente necessário e argentino Havanna! Havanna r0x big time! \o/ O peruano me pareceu diferente… o que comi era BEM parecido com esse da foto.

O que notei de diferente: a massa é mais salgada, mais amanteigada [embora mais sequinha; lembra, vagamente, um sequilho, mas é MUITO mais úmida que um sequilho] tem uma camada GIGANTE de açúcar de confeiteiro [segundo a peruana que me deu, esse alfajor é perigoso porque tem gente que, ao comer, SUGA o açúcar para não perder o doce e ENGASGA, podendo ficar com falta de ar o____O] e esfarela muito.

Mas assim, MUITO.

Mesmo.

Coma em cima de um prato. Não esqueça da colher [porque você vai perder quase um terço do treco, esfarelado -farofa doce, sabe?-, então use a colher para comer aquele monte de massinha quebradiça+açúcar+nacos de doce de leite que caírem no prato] e do guardanapo [a sujeira é grande. Enorme. Colossal. Sei do que estou falando, confie em mim.]


Ceviche [ou cebiche]

Nunca comi. Prometeram-me. Quero. E quero com força.
Meu! Tipo, salada de frutos do mar [peixe de carne branca + lagosta ou camarão ou ambos + polvo + lula + ostras] marinados em suco de frutas cítricas [normalmente limão, mas dá para usar outras frutas também]! O ácido dá uma quebrada nas proteínas da carne, “cozinhando” os frutos do mar e aí você joga umas cebolas roxas e… *babando* EU QUERO!!!! ♥♥♥♥♥

***

Ah, como pude me esquecer? Aqui também experimentei a INCA KOLA! Inca Kola é tipo o Guaraná Jesus o sonho cor-de-rosa dos peruanos. É um refrigerante horrendo, diga-se de passagem, mas quem sou eu para falar algo, já que detesto refrigerantes? de tutti-frutti. Meu! Sério! INCA KOLA. Pachacútec deve estar se revirando no túmulo bwarhuaruahuahuahahahahahaa


Inca Kola em toda a sua glória

Dois slogans g-e-n-i-a-i-s: “THE GOLDEN COLA” e “EL SABOR DEL PERU” Huahuahauhauaa E isso é líder no mercado peruano [não que esse refrigerante tenha conseguindo desbancar a coca cola, já que esta comprou quase metade das ações do “sabor do Peru” isso soou muito estranho… =P]

Meu! Olha a cor dessa bagaça! Refri radioativo!

***

Viva el Japón! \o\ \o/ /o/

Equinócio de primavera

Hoje já é madrugada do dia 21, mas como ainda não fui dormir, continuo achando que é dia 20. E hoje, dia 20 de março, foi o equinócio de primavera de 2009.

Em astronomia, equinócio é definido como um dos dois momentos em que o Sol, em sua órbita aparente (como vista da Terra), cruza o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste). Mais precisamente é o ponto onde a eclíptica cruza o equador celeste.

A palavra equinócio vem do Latim e significa “noites iguais”, ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo. Ao medir a duração do dia, considera-se que o nascer do Sol (alvorada ou dilúculo) é o instante em que metade do círculo solar está acima do horizonte e o pôr do Sol (crepúsculo ou ocaso) o instante em que o círculo solar encontra-se metade abaixo do horizonte. Com esta definição, o dia e a noite durante os equinócios têm igualmente 12 horas de duração.
-> wikipedia

E essa definição deveras simples, bonita e altamente boring serve só para dizer que O INVERNO HORRENDO E XEXELENTO JÁ ERA! Uhuu! \o/ Oi, Primavera, seja bem-vinda! apesar de todos os insetos chulés que vem junto, bebem meu sangue e me deixam com bolotas alérgicas gigantes na pele

Embora esteja com preguiça de mexer no photoshop NESTE momento, já corrigi o contraste de algumas fotinhos que tirei na Quarta [e estou morrendo de preguiça de ajustar as outras]:

SAKURA

Chaenomeles speciosa Nakai
NUNCA ouvi falar, nem sei qual é o nome comum dessa flor, mas lendo em alguns lugares, descobri que ela é a parente asiática da rosa e do marmelo! o__O

Moradias MINÚSCULAS

Sabe aquela idéia de que todo japonês mora num apErtamentico de nada e que é caro pra burro? Ou então em casa beeem no estilo japonês, com jardinzinho e espelho d’água com carpa?

Então, te enganaram.

Fiz essas fotos na última Quarta-feira, nos arredores de onde moro – as fotos nem ficaram muito boas, mas e a preguiça de abrir o photoshop e corrigir o contraste? =p [claro, existe SIM muita gente que mora nos apertamentos, mas também tem MUITA gente que mora numas casas imensas]:


Alguém me dá essa casinha apertada e minúscula de presente? Ela é tão fofa! Parece casa de desenho! *_*


As roupas no varal mostram como o vento estava AMIGO na Quarta; especialmente para quem estava tentando se equilibrar numa bicicleta enquanto fotografava e pagava de doida na rua [oi, eu!]

Não que EU não more num apertamentico [a.k.a. apato], mas, ó, pra mim é meio que uma questão de praticidade: quanto maior a casa, mais chão para limpar e eu absolutamente O.D.E.I.O. tarefas domésticas! [sem falar que o preço do aluguel é BEM mais simpático]

…medo [parte 2]

Continuando o post anterior, reafirmo que japoneses me assustam.

Hard Gay
Já sumiu, mas em 2005/2006 ele fazia sucesso por aqui.

Eu não me importo muito que um comediante faça sucesso vestido dessa forma, mas a partir do momento em que ele aparece desse jeito em qualquer programa, desde manhã até a noite, e faz sucesso entre crianças de 5 anos [com a aprovação dos pais dessas crianças], então eu passo a ter medo [mais medo desses pais do que do Hard Gay].

Além de comediante, o cara era lutador profissional . Azar do massagista da sede japonesa do Yahoo!.


Pula Pirata versão Hard Gay!!
Tinha o vídeo de quando ele INVADIU a empresa que fabrica o Pula Pirata e EXIGIU que fizessem um na versão Hard Gay, pena que saiu do ar… Quando o boneco pula, ele grita “HOOOOOOOOO”. [*sonho de consumo*]

—eu falo, falo, falo, mas do Hard Gay eu gostava. Ria horrores. Sinto falta de vê-lo na tv [como se eu visse muita tv].

Como usar o vaso
Oi, você tem criança em casa?
Oi, você tem banheiro em casa?
Então vamos ensinar a criança a usar o vaso! E vamos fazer um DESENHO ANIMADO sobre isso! E vamos desenhar o xixi e o cocô! E vamos cantar musiquinhas felizes para a ocasião! Afinal, eles são nossos amigos! E, no final, propaganda do trequinho para a criança não cair dentro do vaso [e podia ser só isso, sem o desenho – e mesmo que fosse só isso, já seria tosco]


Tuuuudo bem que o banheiro tradicional do Japão [que eu não uso nem a pau] é assim, mas existem vasos como conhecemos [chamados aqui de “western style” = modelo ocidental] em todo lugar. E o melhor: muitos possuem assentos elétricos [coisa que AMO! No inverno, as partes baixas não congelam! \o/]

Yatta!
No começo da década, o Japão estava em crise [não tão ferrada quanto agora, mas estava]. Então, o que fazer para levantar a auto-estima nipônica? O óbvio ululante: colocar meia dúzia de comediantes não necessariamente jovens, não necessariamente bonitos, não necessariamente em forma, não necessariamente afinados [DU-VI-DO que sejam eles cantando de verdade; eles ao vivo desafinam tremendo, IMPOSSÍVEL que sejam eles, porque até que tá afinadinho aqui], “vestidos” com uma sunga cor de pele e uma FOLHA na frente. E só. Tudo isso somado a uma dancinha de suuuuuuuuper bom gosto.

Coisa mais linda.


Morro quando eles falam que representam o Japão! Hahahahah