One two three four! -parte 3

Espero que seja a última parte porque, sinceramente, tô cansando. =P

Objetos grandes

(carro, máquina de lavar louça, tv, computador…)
A regra é o sufixo dai

1 – ichi dai
2 – ni dai
3 – san dai
4 – yon dai
5 – go dai
6 – roku dai
7 – nana dai
8 – hachi dai
9 – kyuu dai
10 – juu dai

Livros e cadernos

A regra é o sufixo satsu

1 – issatsu
2 – ni satsu
3 – san satsu
4 – yon satsu
5 – go satsu
6 – roku satsu
7 – nana satsu
8 – hassatsu
9 – kyuu satsu
10 – jissatsu (ATENÇÃO: aqui é “ji” em vez de “juu”)

Idade

A regra é o sufixo sai

1 – issai
2 – ni sai
3 – san sai
4 – yon sai
5 – go sai
6 – roku sai
7 – nana sai
8 – hassai
9 – kyuu sai
10 – juu sai
11 – juu issai
12 – juu ni sai
20 – hatachi
21 – ni juu issai

Objetos “compridos”

(parafuso, prego, caneta, guarda-chuva, lápis, pinça, hashi…)
A regra é o sufixo hon e seus derivados, bon e pon

1 – ippon
2 – ni hon
3 – san bon
4 – yon hon
5 – go hon
6 – roppon
7 – nana hon
8 – happon
9 – kyuu hon
10 – jippon (ATENÇÃO: aqui é “ji” em vez de “juu”)
11 – juu ippon
12 – juu ni hon
13 – juu san bon
20 – ni jippon
30 – san jippon
100 – hyappon
200 – nihyappon
600 – ropyappon
1000 – sen bon
2000 – ni sen bon

…E é isso. Não sei se tem mais alguma outra forma de contar, só sei essas.
Como dá para notar, aprender a contar em japs é facinho facinho, mamão com açúcar, molezinha, qualquer bebê consegue.

Tipos, meu, pra quê tanta complicação? Alguém me explica? =P

Queria ver o Dee Dee ou CJ Ramone gritando 1 2 3 4 se eles fossem japoneses.

One two three four! -parte 2

*Tirando como base os sites Japonês na prática e Aprendendo japonês [tabelas copiadas integralmente, ctr c ctr v mesmo, sem nenhuma vergonha na cara]*
Ah, sim; a leitura usada está de acordo com o sistema Hepburn [estou mais acostumada].

Então vamos aos números. Porque “1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10” é para os fracos. Não que essa forma não seja usada; é, sim. Só que também existe a forma japs de se escrever os números. Porque, como eu já disse antes, japonês adooora complicar.

Então:

1 一
2 二
3 三
4 四
5 五
6 六
7 七
8 八
9 九
10 十
11 十一
E assim por diante.

E, como eu disse também, sempre tem uma forma chinesa e uma forma japonesa de se ler as coisas [eu acho que não falei que as duas formas são usadas direto].

O numeral japonês é usado para:
.contagem, em geral
.quantidade de objetos

O numeral chinês:
.serve para contagem, em geral
.é acompanhado de sufixo numeral [que varia, dependendo do que você está contando]

Só que eu não vou entrar em detalhes, senão nunca mais desgrudo desse computador. Vão clicando aí nos links que já tudo explicadinho [é a lógica: para quê vou perder meu tempo explicando e, ainda por cima, mal explicado quando sei que existe algo que já está pronto e bem explicado? Jogo link mesmo =P]

Para mais:
Aprendendo japonês
Japonês na prática

Ó só a delicinha:

Fácil, né? Meu problema é que, para cada coisa, existe uma maneira diferente de se contar. Eu não sei todos [na verdade, não sei se sei tudo], mas o que já aprendi [ou melhor, me ensinaram, eu anotei, e tô tentando memorizar] foi isso:

CALENDÁRIO

Meses
Isso é facinho; é só usar o numeral chinês seguido do sufixo gatsu 月, que significa “mês”.

Janeiro 一月 ichi gatsu
Fevereiro 二月 ni gatsu
Março 三月 san gatsu
Abril 四月 shi gatsu
Maio 五月 go gatsu
Junho 六月 roku gatsu
Julho 七月 shichi gatsu
Agosto 八月 hachi gatsu
Setembro 九月 ku gatsu
Outubro 十月 juu gatsu
Novembro 十一月 juu ichi gatsu
Dezembro 十二月 juu ni gatsu

Dias do mês
A regra geral é usar o sufixo nichi 日, que indica “dia do mês”, mas existem exceções. No caso, MUITAS exceções [em verde — aliás, daqui pra frente, sempre assim: regra em roxo e exceção em verde]:

1 一日 tsuitachi
2 二日 futsuka
3 三日 mikka
4 四日 yokka
5 五日 itsuka
6 六日 muika
7 七日 nanoka
8 八日 youka
9 九日 kokonoka
10 十日 tooka
11 十一日 juu ichi nichi
12 十二日 juu ni nichi
13 十三日 juu san nichi
14 十四日 juu yokka
15 十五日 juu go nichi
16 十六日 juu roku nichi
17 十七日 juu shichi nichi (ou juu nana nichi)
18 十八日 juu hachi nichi
19 十九日 juu ku nichi
20 二十日 hatsu ka
21 二十一日 ni juu ichi nichi
22 二十二日 ni juu ni nichi
23 二十三日 ni juu san nichi
24 二十四日 ni juu yokka
25 二十五日 ni juu go nichi
26 二十六日 ni juu roku nichi
27 二十七日 ni juu shichi nichi (ou ni juu nana nichi)
28 二十八日 ni juu hachi nichi
29 二十九日 ni juu ku nichi
30 三十日 san juu nichi
31 三十一日 san juu ichi nichi

Pessoas

A regra é o sufixo nin

1  – hitori
2  – futari
3 – san nin
4 – yon nin
5 – go nin
6 – roku nin
7 – shichi nin
8 – hachi nin
9 – kyuu nin
10 – juu nin
11 – juu ichi nin
12 – juu ni nin

Objetos pequenos

[maçãs, sabonetes, ovos, botões, sushis…]
A regra é o sufixo ko

1 – ikko
2 – ni ko
3 – san ko
4 – yon ko
5 – go ko
6 – rokko
7 – nana ko
8 – hakko
9 – kyuu ko
10 – jikko
11 – juu ikko
12 – juu ni ko

Objetos achatados

[folhas, selos, lenços, fotos, cartões…]
A regra é o sufixo mai

1 – ichi mai
2 – ni mai
3 – san mai
4 – yon mai
5 – go mai
6 – roku mai
7 – nana mai
8 – hachi mai
9 – kyuu mai
10 – juu mai

One two three four! -parte 1

Então. Depois do coma do blog, vamos voltar como se nada tivesse acontecido [e, de fato, não aconteceu] ráááá como sou sagaz! — NOT! Mas tudo bem… é assim que eu funciono em termos de blog mesmo… =P

Eu tenho uma teoria pessoal de que o lema dos japoneses é “para quê facilitar, se podemos complicar?” Porque, né. vamos pegar o sistema de escrita como exemplo.

Estamos falando de um país que tinha um idioma falado, mas não tinha uma escrita. Daí os monges budistas foram para a China e voltaram trazendo os kanji [a.k.a. ideogramas chineses], que, de início, até eram lidos em chinês, mas daí foi desenvolvido um sistema chamado kanbun que, basicamente, significava que aqueles textos chineses, escritos em chinês, seriam lidos de acordo com a gramática japonesa.

Daí que agora os kanjis tem, todos, pelo menos, duas formas de leitura: a leitura chinesa (on’yomi, ou on – que é classificado em 4 tipos diferentes — go-on, kan-on, tō-on e kan’yō-on; não cabe aqui dizer o que é o quê, basta saber que existe mais isso) e a leitura japonesa (kun’yomi, ou kun). Isso sem contar os kanjis que tem umas 10 formas de leitura [sem exagero], dependendo do contexto. E sem falar também nos jūbako, que são compostos híbridos de kanjis de leitura chinesa com kanjis de leitura japonesa.

Não contentes com isso, os japoneses desenvoveram um outro sistema de escrita, chamado man’yogana, que usava os caracteres chineses para representar os sons japoneses. Esse sistema man’yogana, escrito de forma curvilínea, deu origem a outro sistema de escrita, chamado hiragana, que era usado pelas mulheres [que não tinham acesso ao mesmo nível de educação que os homens]. Ainda, não contentes, foi desevolvido nos monastérios, paralelamente à criação do hiragana, um outro sistema de escrita, o katakana.

Acabou? Nãããããoo. Depois da Segunda Guerra Mundial, surgiu um outro tipo de escrita, o kokuji, ou wasei kanji, que são os kanjis escritos de forma mais simplificada [ou, “à moda japonesa”, digamos assim]. Além disso, ainda inventaram o kokkun que funciona basicamente assim: você pega um kanji que significa uma coisa em chinês e dá um outro significado, completamente diferente, em japonês. Legal, né? Bacana pra caramba.

Então, acabou… NOT. Porque também existe o rōmaji. Isso é facinho: é pegar as letras romanas [ou seja, as letras que nós, ocidentais, usamos] para transcrever a fonética das palavras japonesas. Obviamente, em se tratando de japoneses, não dava para ser assim tão simples, então existem vários sistemas de romanização das palavras japonesas, sendo as três principais o sistema Hepburn, o sistema Kunrei-shiki e o sistema Nihon-shiki.

E isso foi uma explicação MUUUUUUUUUUUITO por alto do que é o sistema escrito japonês, só para se ter uma idéia de como japs ADORAM complicar a vida.

E essa enrolação toda foi só para dizer que isso NÃO é diferente com os números. Sim, isso foi só a introdução da complicaçãozinha que tem fritado meus miolos. =P

Equinócio de primavera

Hoje já é madrugada do dia 21, mas como ainda não fui dormir, continuo achando que é dia 20. E hoje, dia 20 de março, foi o equinócio de primavera de 2009.

Em astronomia, equinócio é definido como um dos dois momentos em que o Sol, em sua órbita aparente (como vista da Terra), cruza o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste). Mais precisamente é o ponto onde a eclíptica cruza o equador celeste.

A palavra equinócio vem do Latim e significa “noites iguais”, ocasiões em que o dia e a noite duram o mesmo tempo. Ao medir a duração do dia, considera-se que o nascer do Sol (alvorada ou dilúculo) é o instante em que metade do círculo solar está acima do horizonte e o pôr do Sol (crepúsculo ou ocaso) o instante em que o círculo solar encontra-se metade abaixo do horizonte. Com esta definição, o dia e a noite durante os equinócios têm igualmente 12 horas de duração.
-> wikipedia

E essa definição deveras simples, bonita e altamente boring serve só para dizer que O INVERNO HORRENDO E XEXELENTO JÁ ERA! Uhuu! \o/ Oi, Primavera, seja bem-vinda! apesar de todos os insetos chulés que vem junto, bebem meu sangue e me deixam com bolotas alérgicas gigantes na pele

Embora esteja com preguiça de mexer no photoshop NESTE momento, já corrigi o contraste de algumas fotinhos que tirei na Quarta [e estou morrendo de preguiça de ajustar as outras]:

SAKURA

Chaenomeles speciosa Nakai
NUNCA ouvi falar, nem sei qual é o nome comum dessa flor, mas lendo em alguns lugares, descobri que ela é a parente asiática da rosa e do marmelo! o__O

…medo [parte 2]

Continuando o post anterior, reafirmo que japoneses me assustam.

Hard Gay
Já sumiu, mas em 2005/2006 ele fazia sucesso por aqui.

Eu não me importo muito que um comediante faça sucesso vestido dessa forma, mas a partir do momento em que ele aparece desse jeito em qualquer programa, desde manhã até a noite, e faz sucesso entre crianças de 5 anos [com a aprovação dos pais dessas crianças], então eu passo a ter medo [mais medo desses pais do que do Hard Gay].

Além de comediante, o cara era lutador profissional . Azar do massagista da sede japonesa do Yahoo!.


Pula Pirata versão Hard Gay!!
Tinha o vídeo de quando ele INVADIU a empresa que fabrica o Pula Pirata e EXIGIU que fizessem um na versão Hard Gay, pena que saiu do ar… Quando o boneco pula, ele grita “HOOOOOOOOO”. [*sonho de consumo*]

—eu falo, falo, falo, mas do Hard Gay eu gostava. Ria horrores. Sinto falta de vê-lo na tv [como se eu visse muita tv].

Como usar o vaso
Oi, você tem criança em casa?
Oi, você tem banheiro em casa?
Então vamos ensinar a criança a usar o vaso! E vamos fazer um DESENHO ANIMADO sobre isso! E vamos desenhar o xixi e o cocô! E vamos cantar musiquinhas felizes para a ocasião! Afinal, eles são nossos amigos! E, no final, propaganda do trequinho para a criança não cair dentro do vaso [e podia ser só isso, sem o desenho – e mesmo que fosse só isso, já seria tosco]


Tuuuudo bem que o banheiro tradicional do Japão [que eu não uso nem a pau] é assim, mas existem vasos como conhecemos [chamados aqui de “western style” = modelo ocidental] em todo lugar. E o melhor: muitos possuem assentos elétricos [coisa que AMO! No inverno, as partes baixas não congelam! \o/]

Yatta!
No começo da década, o Japão estava em crise [não tão ferrada quanto agora, mas estava]. Então, o que fazer para levantar a auto-estima nipônica? O óbvio ululante: colocar meia dúzia de comediantes não necessariamente jovens, não necessariamente bonitos, não necessariamente em forma, não necessariamente afinados [DU-VI-DO que sejam eles cantando de verdade; eles ao vivo desafinam tremendo, IMPOSSÍVEL que sejam eles, porque até que tá afinadinho aqui], “vestidos” com uma sunga cor de pele e uma FOLHA na frente. E só. Tudo isso somado a uma dancinha de suuuuuuuuper bom gosto.

Coisa mais linda.


Morro quando eles falam que representam o Japão! Hahahahah

…medo

Os japoneses fazem umas coisas que me assustam. E muito.

Sutiã masculino
Invenção da Wishroom

Tem mais fotos aqui

Coisas bizonhas vendidas nos hyakuens
Tem coisas MUITO boas nos hyakuens, mas tambem tem MUITA coisa estranha.
[clique na imagem = página de onde a foto veio]


“Poo”… o___O””


“You can be a drag queen” o________O”””’


……………..
Só UMA coisa: isso fica no setor de “fantasias”, normalmente junto de artigos para CRIANÇAS.

Tolerância sobrehumana das meninas à friaca
Meu, essa gente não nasceu nesse planeta.

MINI-SAIA?!!?!! Ow, mulherada, TÁ NEVANDO! Tipo… neve, frio, muito muito muito frio! Hipotermia! Que que são essas pernas de fora? LIGUEM SUAS TERMINAÇÕES NERVOSAS!!!

~post inspirado em conversa bizarra com Gushi. [bom, difícil uma conversa com Gushi não ser bizarra.]

Ê, colônia!

De vez em nunca, faço uma limpa nos meus emails e aí deu que achei esse aí [que recebi há anos].
aplica-se ao meu caso
não se aplica ao meu caso

***

“Você é um nikkei brasileiro se:”

1. Seus avós (ou seus pais) se casaram por omiai (casamento arranjado) Meus avós! E, até onde sei, um dos meus tios também
2. Você tem algum parente nissei que se chama Mário, Paulo ou Jorge. Luiz/Luís também!
3. Você tem alguma parente nissei que se chama Rosa, Alice, Kazuko ou Yoshiko.
4. Os homens da sua família eram sitiantes, chacareiros, tintureiros ou quitandeiros.
5. As mulheres da sua família eram sitiantes, chacareiras, tintureiras ou quitandeiras e além disso, cuidavam da casa e dos filhos.
6. Todos os seus primos e sobrinhos estão tendo filhos mestiços. Na verdade, não tenho sobrinhos e nenhum dos meus primos ainda teve filhos, mas a tendência é exatamente essa [e quase metade dos meus primos são mestiços]
7. Você checa na casa de seus amigos nisseis se tem que tirar os sapatos. No Brasil, o único lugar em que eu fazia isso era no quarto de um amigo meu… que NÃO é nikkei – mas aqui no Japão não tem jeito… até na minha casa é assim por aqui
8. Seus pais ou seus avós compraram o primeiro carro ou a casa com dinheiro de tanomoshi. Não, mas conheço gente em cujo caso a resposta é sim
9. Quando você visita algum parente nissei sabe que tem que levar omiyague (presente/lembrança). Nem sempre, mas muitas vezes sim. Especialmente se a gente viaja, SEMPRE rola um omiyague. E omiyague pode ser qualquer coisa… até um saco de mexericas para a sobremesa – porque em qualquer família japonesa que se preza SEMPRE rola mexerica
10. Quando você sai de um casamento de nissei você leva as sobras da comida da festa pra casa. CERTEZA! O mesmo vale pras missas da família – senão, que graça tem? huahuahauhaa

11. Você sabe quem é Rosa Miyake.


Fez parte da minha infância!!!! E da infância da minha mãe também!!!

12. Você usa Salompas para as suas dores musculares nas costas.
13. Você dançou em bailes do kaikan (Associação de Nipo-brasileiros) da sua cidade. Não, porque eu não curto dançar, mas acho que passei metade da minha infância indo pras festas de vários kaikans, já que em SP tem vários… e competição de karaoke em kaikan? Perdi as contas de quantas assisti… =P
14. Tem briga para pagar a conta do restaurante.
15. Você insiste em colocar dinheiro no bolso do paletó de quem pagou a conta do restaurante. Uma amiga já fez isso comigo! Eu dei metade do dinheiro da conta e ela simplesmente enfiou meu dinheiro no meu jeans de novo! A gente tinha… sei lá, 14, 15 anos.. .fiquei chocada! Pra mim, só os mais velhos é que faziam isso, mas ela me provou que eu estava bem errada.
16. Você entrega koden nos funerais de nisseis. É um dinheiro que se dá à família do falecido para ajudar com as despesas do funeral; como agradecimento, a família entrega um presentinho simbólico, como uma toalhinha, um pratinho… Só que o dinheiro do koden tem de ser entregue num envelope próprio para isso; este link explica direitinho, no final da página
17. Jogam sal em você antes de entrar em casa na volta de um funeral. Quando vai todo mundo, a gente já deixa um pires com sal prontinho na porta de entrada, pra poder se purificar sem ter que enfiar o pé dentro de casa [sim, o sal é pra purificar a gente]
18. Você não precisa ler instruções para usar ohashi.

19. A sua família assiste ao kohaku utagassen na véspera do Ano Novo. E eu SEMPRE torço pro Mikawa Kenichi ganhar da Sachiko Kobayashi! E olha que nem gosto de enka, mas perua por perua, fico com a perua drag que é mais divertido!


Mikawa é esse respeitável senhor que aparece no primeiro vídeo; depois vem a Sachiko Kobayashi. Normalmente eu acho que a Sachiko tem um senso estético melhor menos escalafobético um tiquinhozinho menos drag que o Mikawa na verdade, esses dois tão pau a pau, mas o Mikawa é sempre mais divertido, então eu torço sempre pro Mikawa!!! =D

20. Você come soba na véspera do Ano Novo.
21. Você come ozoni no dia do Ano Novo. Mas como detesto o mochi molenga [creepy!] no meio do ozoni, bebo o caldinho e o mochi eu como frito, à parte
22. Você leva bentô para ir pra praia, undo-kai, ou pro parque de diversão Também levava pra escola, pra faculdade, levo pro serviço, levo quando faço piquenique, levo quando viajo de ônibus… os tiozinhos lá levando salgadinho, sanduíche, e eu lá, com meu onigiri – e nem ligo se estou pagando mico hahahahaha
23. Você participava ou participa de undo-kais. Só ganhava prêmio de consolação, mas deixa quieto… ADORAVA ganhar arroz doce e lápis! /o/
24. Você não sente que teve uma refeição se não comeu gohan (arroz japonês). Não chego a tanto, mas conheço um tiozinho que enfia gohan dentro de pastel!!! o_O Pastel frito, de feira. O tiozinho enfia gohan dentro daquilo! o__O
25. Além do sal, pimenta, óleo de oliva, você tem também shoyu na mesa de refeição. Sal? Que sal? Muuuito raramente tem sal na mesa, mas shoyu é de lei!!!
26. Você fala itadakimassu (um tipo de agradecimento pela comida, ou algo do tipo) antes de começar a comer. Ultimamente não tenho falado, mas até uns 2 anos atrás, era todo dia… mesmo quando estava sozinha huahuahauhaua
27. Você diz gotsosama (algo como “estou satisfeito”) depois que termina a sua refeição. Até hoje!!!
28. Você não pode deixar resto de comida porque é mottainai (desperdício) e existem milhões de crianças passando fome pelo mundo afora. Benzadeus, como fui obrigada a ouvir isso na vida!!!!
29. Você come okayu (papa de arroz) quando doente. Não como porque detesto… mas já fui obrigada a comer isso quando era criança
30. Na sua casa sempre tem tsukemono na geladeira. E é meu pai quem faz huahuahauhaa
31. Sua avó continua cozinhando usando aji-no-moto, nem aí com os noticiários contra o uso. Minhas avós, meus pais, eu e minha irmã!
32. Leite te dá azia e cerveja te deixa vermelho Leite, só desnatado, de vez em quando, e não passo de um copo, senão passo mal o resto do dia… e eu não gosto de cerveja. =P Aliás, tive um chefe aqui no Japão que, com dois copinhos de cervejinha daqui -que me disseram que é mais leve que a do Brasil-, virou um rabanete! Além de ter ficado COMPLETAMENTE beudo, de cruzar as pernas e tudo huahauhauahuahauaa]
33. Disseram pra você comer nori para que seus cabelos ficassem sempre pretos. Nunca ouvi isso o__O

34. Você conhece a história de Momotaro. Também sei a música!!!!!! =D [mó sem noção esse Momotaro! A música fala, basicamente, assim: “Momotaro, me dá um desses bolinhos de arroz?” e ele responde “Me ajuda a matar os demônios que eu te dou um” – tipo, “oi, vem correr o risco de morrer nas mãos de um zilhão de demônios, se der certo eu te dou um bolinho de arroz!” NEGOCIÃO!=P]

Só achei os vídeos assim… um toca a primeira metade da música, o outro tem umas crianças cantando a segunda metade =P

Momotarō-san, momotarō-san
Okoshi ni tsuketa kibidango
Hitotsu watashi ni kudasai na?
Agemashou, agemashou
Ima kara oni no seibatsu ni
Tsuite kuru nara agemashou

35. Seu dentista, médico ou oculista é nissei.
36. Você deixa de fazer certas coisas porque pode ser que “bati ga ataru”. (volta pra você) Não acredito nisso… mas, assim, eu não saio dando chutes a esmo pela rua, que daí eu sei que volta MESMO pra mim! xD
37. Você chama os brasileiros de gaijin (estrangeiro). Tento me controlar, mas é automático =P
38. Por mais que você queira, não pega o último pedaço de bolo (ou de qualquer outra coisa) por que tem que fazer enjyo (auto-restrição, para mostrar “bons modos”). Ah, meu… nem ligo; meu lado ogra fala mais alto e eu vivo de comer o último pedaço porque, nada a ver né?, vai ficar desperdiçando? =p
39. Por pior que seja o seu japonês, você sabe o que significa shi-shi e unkô. (“xixi” e “cocô”) Bobagem a gente aprende rapidinho xD
40. Sua avó ou sua mãe guarda de tudo quanto é tralha porque pode ser que possa ser útil algum dia. EU faço isso! Shame on meeeee!!!!
41. Você usa mimi-okaki (palitinho, tradicionalmente feito de bambu; assim) para limpar as suas orelhas ou a vareta para coçar as costas. Morro de medo de mimi-okaki. Como eu sei que sou meio destrambelhada, pra quê arriscar furar o tímpano, né?
42. Para os homens: como adolescente (ou mesmo homem maduro) você tentou criar bigode ou barba, mas desistiu porque a sua sobrancelha era a parte mais peluda do seu rosto (não vale para os que são de Okinawa). Todos os homens da minha família! huahuahauahuahauhauaa – exceto meu bisavô que, pelas fotos que vi, era barbudaço!
43. Para as mulheres: você deve antecipar os desejos e as necessidades dos homens, mesmo que eles mesmos não saibam o que querem. Você é nissei (filho/a de imigrante japonês), se consegue fazer isso, mas com certo ressentimento. Você é sansei (neto/a de imigrante japonês) se você não tem a mínima idéia do que isso significa e não está nem aí. Você é yonsei (bisneto/a de imigrante japonês) se você acha que são os homens que devem te servir. Sou 75% sansei e 25% yonsei, então não dou a mínima pra isso, e quando eu quero algo, admito que prefiro mesmo que façam pra mim! xP
44. Você sabe que tem de parar de fazer barulho quando você escuta yakamashiii. Urusai também
45. Sua avó fazia zabutom pro pessoal usar para sentar. Nunca compramos zabutom em casa; sempre foi home made! A maioria das almofadas também! huahauhauhaa
46. Você assistia a filmes japoneses no Jóia, Niteroi, Nikkatsu ou Nippon. Ou no cinema-kan da sua cidade. Isso não é do meu tempo – mas meus pais iam a esses lugares sim
47. Você tem aparelho de karaokê em casa. Não, e espero NUNCA ter
48. Você ouviu palavras como takai (caro), abunai (cuidado, é perigoso), urusai (barulhento, cala a boca, tá enchendo o saco), gamam (paciência, perseverança, resistência), shikata-ga-nai (forma de se fazer algo) de seus pais e avôs. Damee [não pode, proibido], shoganai [não há nada a se fazer], kitigai [louco, demente, anormal], daijobu [tudo ok, tranquilo], bakatare [forma mais branda de baka] e baka [idiota, bobão] também
49. Apesar de ser uma mulher de trinta, nos bares pensam que você é uma adolescente. Eu não tenho 30, mas ano passado me perguntaram se eu tinha 19 anos… na verdade, eu não pareço mais nova do que sou, essa vez foi uma exceção
50. Você costuma ouvir o seu nome ou sobrenome pronunciado de pelo menos seis maneiras diferentes E todas, quase sempre, erradas =P