Medo medo medo MUITO medo

Tem uma revista que a gente recebe de graça pelo correio, a Favo, e seeeeeeempre tem propaganda de um produto que promete tornar a pessoa “magra e bonita”. Dá medo.

Não tem os pesos das mulheres nessa foto [roubada do site da empresa tosca], mas estou com a revista na mão, que tem. Segue [da esquerda para a direita]:

  • De: 66,1Kg/ Para: 45,6Kg/ Perdeu: 20,5Kg
  • De: 58,2Kg/ Para: 41,7Kg/ Perdeu: 16,5Kg
  • De: 52,0Kg/ Para: 39,8Kg/ Perdeu: 12,2Kg
  • De: 67,0Kg/ Para: 48,6Kg/ Perdeu: 18,4Kg
  • De: 58,3Kg/ Para: 47,5Kg/ Perdeu: 10,8Kg
  • Vontade de traduzir esses artigos e mandar pra essa gente!

  • Quando a magreza é problema
  • Obsessão por magreza gera doenças
  • Anorexia e Bulimia Nervosa
  • Porque, né… Pára, com isso, caceta!!! Ó essa maluca aí do meio, por exemplo! 52Kg NÃO é ser gorda! A criatura tá com 39,8!!!!! Porra!!! TRINTA E NOVE QUILOS E OITOCENTOS GRAMAS!!!!

    Isso é DOENÇAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! A criatura se achava GORDA aos 52Kg e achou por bem perder mais de 12Kg!!! E o que foi que a bestalhona conseguiu?
    Hein?
    Hein?
    Hein?
    .
    .
    .
    Ficar A CARA do Mumm-Ra. =P

    Blergh.

    Anúncios

    vergonha da raça

    Então, tinha esse idiota, Issei Sagawa. É assim o nome dele em japonês: 佐川一政 [Sagawa Issei – o sobrenome antes do nome].

    E esse demente nasceu numa família de posses e foi estudar na França. Em 1981, aos 32 anos, ele deu um tiro no pescoço de sua professora de alemão [por quem ele era obcecado], uma moça de 25 anos chamada Renée Hartevelt. Aí começou a cortar pedacinhos da carne dela e achou parecido com carne crua de atum, macia e sem cheiro. Aí o demente ficou excitado com isso e fez sexo com o parcialmente canibalizado corpo da vítima!!!!! o__O

    Aí foi para um parque, jogar o resto do corpo da vítima num lago – e um casal viu. Então ele foi preso, pedaços da carne da moça foram encontrados na geladeira dele e ele foi deportado para o Japão. PORÉM, ele foi LIVRE para casa.

    Não foi para a prisão, não foi para nenhuma instituição para desajustados mentais. E, PASMEM!, hoje ele é uma espécie de subcelebridade conhecido por ser CRÍTICO GASTRONÔMICO!!! Sem falar que também já participou de um filme e às vezes aparece na TV.

    Heeeiiiinnn?, mas, OI?, como assim, alguém me explica?

    Essa é a cara do idiota, antes e agora:

    A coitada da vítima:

    E eu sei lá que diabos está escrito aqui, mas ó as fotos:






    Como assim, tem umas crianças junto dele? Que espécie de IMBECIL transforma um escroto desse em celebridade e deixa umas crianças chegarem perto??

    Aqui, mostrando um de seus livros [porque ele também é escritor]

    Ó QUE MEIGO, TOMARA QUE ESSE CRETINO SEJA PRESO E VIRE A MENININHA DA PRISÃO!

    Achei esse documentário no youtube; PÉSSIMA qualidade, mas enfim… chama-se “Excuse me for living” [não, não te desculpo não >=P]
    parte 1, parte 2, parte 3, parte 4, parte 5, parte 6

    A música “Too much blood”, dos Rolling Stones, faz referência ao canibal-celebridade.

    A friend of mine was this Japanese.
    He had a girlfriend in Paris.
    He tried to date her in six months and eventually she said yes.
    You know, he took her to his apartment, cut off her head.
    Put the rest of her body in the refrigerator, ate her piece by piece.
    Put her in the refrigerator, put her in the freezer.
    And when he ate her and took her bones to the Bois de Boulogne, by chance a taxi driver noticed him burying the bones.
    You don’t believe me? Truth is stranger than fiction.
    We drive through there every day.

    Morri de vergonha da raça agora.
    Fontes:
    new criminologist, vice magazine, wikipedia

    –Bah, acabei de ver isso:

    (…) Then, the bombshell.

    “I know him. He’s a friend of mine.” In shock I listened as he went on to describe Sagawa’s activities as a restaurant reviewer, actor, author and his annually held barbecue. The two men even wrote a book together about other cannibal killers. “How can you associate with someone who did the things he did?” I had to ask. “What he did was terrible, but he’s a nice guy. He has lots of friends,” was the simple response.

    (…)I have no problem with people writing books or making films based on serial killers (…) but if one is into this topic, then one should take in all aspects. Put yourself in the victim’s shoes. Put yourself in the victim’s family’s shoes. [concordo bem com essa última parte]

    Sério, uma coisa é você ser um tosquinho feliz que faz umas coisas random, sem machucar ninguém [tipo o Hard Gay, que causava estranhamento, mas era bem bobo], outra coisa é você ser conivente com um babaca como esse… ok, ele pode ser educado, mas eu JAMAIS seria amiga de um demente assim. Às vezes, acho que japoneses acham graça em tudo, em coisas bobas sem graça nenhuma. Até aí, ok. Só que, fala sério, ISSO aí não tem graça NENHUMA e tem que ser muuuuito sem noção [como o idiota com máscara fazendo as poses toscas com o assassino canibal na série de fotos em que aparecem as crianças] para querer transformar ISSO em algo LIGHT e FAMILIAR.

    Na boa, mas vá para a puta que te pariu. Porra. o inferno.